Categorias
Economia Empreendedorismo Meio Ambiente

Rodrigo diz que quer implantar bolsões de estacionamento para revitalizar o comércio na Av. Pedro II

Basta uma simples caminhada pela Avenida Pedro II para ver o impacto da crise econômica e da pandemia. Por todo lado há inúmeras portas fechadas e anúncios com a placa de “aluga-se”. Rodrigo Paiva foi conversar com comerciantes da região para ouvir suas demandas e entender suas necessidades, nesta quinta-feira (04).

A Avenida Pedro II começou a ser construída em 1935 e foi fundamental para a ocupação de diversos bairros, ao longo de seu trajeto. É um importante corredor de tráfego, que conecta a Avenida Olegário Maciel ao Anel Rodoviário, ligando o Centro à região Noroeste e aos bairros Caiçara, Padre Eustáquio, Carlos Prates, Bonfim, São José, Jardim Alvorada, Jardim Montanhês e Adelaide.

Durante anos, a Pedro II foi conhecida pelo comércio intenso no ramo automotivo, com inúmeras lojas de peças, serviços e revenda de automóveis. Mas desde a crise de 2014, perdeu quase metade das lojas, com a queda no movimento e a dificuldade dos empreendedores em se adaptar à Lei Federal do Desmanche, que obriga o credenciamento no Detran, segundo comerciantes que ainda resistem no local. Outro problema, afirmam os lojistas, é a dificuldade de estacionamento no local, com a implantação da pista exclusiva do MOVE que, segundo eles, “tirou o espaço para o cliente estacionar.”

Rodrigo Paiva declarou que uma avenida tão importante para a cidade precisa de revitalização, para devolver o vigor urbanístico e incentivar o seu uso, atraindo novos negócios e moradias. “Nossa cidade precisa recuperar a economia, principalmente depois que 11 mil empresas fecharam as portas e 35 mil pessoas que foram demitidas durante a pandemia não conseguiram voltar ao mercado de trabalho. Temos de Nós precisamos fortalecer os negócios que resistiram e estimular a abertura de novos empreendimentos. E vou fazer isso reduzindo a burocracia empresarial para obtenção de licenças e alvarás. Eu vou ajudar a quem quer trabalhar, quem quer gerar emprego e renda.”

Uma sugestão para atrair novos negócios para a avenida e ajudar os comerciantes é criar “bolsões de estacionamento”, já que a atual solução da prefeitura de permitir apenas o uso de ruas laterais não conseguiu trazer os consumidores de volta. “Minha ideia é fazer um amplo levantamento para identificar os pontos críticos de falta de estacionamento, o potencial comercial e a disponibilidade de imóveis. E, a partir desse estudo, trazer a inciativa privada para a exploração de estacionamentos particulares. Se for preciso, a administração municipal poderá até promover a desapropriação de áreas, a iniciativa privada banca a construção ou a adaptação de novos imóveis e devolve à Prefeitura o valor da indenização.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *